sábado, 1 de maio de 2010

O Medo de Escrever

Há dois anos atrás criei este Blog para compartilhar um pouco das minhas experiências com o Tremor Essencial e de alguma forma servir como um farol para quem por ventura caísse neste longínquo pedaço de algum lugar da internet.

Tenho voltado ao Blog Mãos Trêmulas sempre em rápidas visitas para ler os relatos e histórias das pessoas que passaram por aqui. Posso dizer até que fiz algumas novas amizades trocando informações sobre os tremores e suas “situações”. Sempre me faltou um pouco talvez de inspiração para tentar postar algo novo.

Gostaria de começar com um forte abraço a cada um que contou um pouco das suas dificuldades e a todos que enfrentam bravamente suas limitações e fazem da palavra SUPERAÇÃO uma máxima em suas vidas.

Os problemas que enfrentamos no nosso dia dia em função dos tremores são os mesmos. Basta olhar no Mural de Recados aqui do blog que com certeza você vai achar uma história que se parece com a sua.

Não sou nenhum especialista e infelizmente não tenho a solução para este problema. O que posso fazer é apenas compartilhar um pouco de como tenho superado as dificuldades nestes anos.

O que me motivou a escrever novamento foi principalmente ter observado a grande incidência de Fobias que aparecem como consequencia dos Tremores Essenciais.

É para quem enfrenta o pânico de escrever que resolvi falar mais um pouco.

Você sabe como é difícil escrever na frente de outras pessoas, passar por avaliações escritas, assinar o próprio nome, enfim... Situações em que parece que vamos ter um infarto ou algo parecido.

Estas situações não são próprias do Tremor Essencial em si, mas sim conseqüências das más experiências que já passamos, em geral no inicio, quando a doença ainda começa a se manifestar.

Quem não se sentiu observado, avaliado... Como se todos estivessem reparando na sua “tremedeira”?

Alguém já riu de você por tremer?

Já se sentiu de alguma forma o centro das atenções, como se fosse um E.T. ou algo parecido?

É isso!!!

Por isso você, hoje, não consegue assinar na frente de outras pessoas... Tem Pânico em escrever com outras pessoas te olhando. Ou treme muito ao levar o copo ou xícara á boca quando tem pessoas à sua volta.

São quadros de Fobia Social.

Você tinha um tremorzinho fraquinho, mal dava bola. Certo dia você se sentiu humilhado ou envergonhado por alguém que percebeu o seu tremor e riu de você, te ridicularizou ou te expôs a uma situação muito desagradável. Talvez você nem se lembre destas situações terríveis, mas provavelmente elas aconteceram. Você estava escrevendo, assinando, ou fazendo algo que exigisse precisão e alguém reparou.

Hoje, quando você se vê em uma situação semelhante, revive aquela sensação, ampliada algumas milhares de vezes pela ansiedade – SERÁ QUE VOU CONSEGUIR??? (tuc tuc tuc tuc – coração disparando) Todos estão me olhando... Reparando no meu tremor...

Já passou por isso??

Entendo perfeitamente o que você passa no seu dia dia.

Não é NADA fácil!!

É LIMITANTE!!

É CONSTRANGEDOR!!

MAS...

É o SEU problema!!!

Não é um caso que você viu por aí: “ Tem um vizinho meu que treme as mãos quando vai escrever... Quase não consegue, tem a letra toda tremida...

NÃO!!

É VOCÊ!!! É o SEU problema!!

Não adianta você dizer Um Milhão de Vezes para si mesmo que não admite ter algo assim. Que não deve contar pra ninguém. Que é um segredo seu a ser guardado e escondido a sete chaves. Que não admite ter um problema que limite as suas capacidades. – VOCÊ TEM ESTE PROBLEMA E ELE LIMITA E DIFICULTA A SUA VIDA!!! Por que não falar sobre isso?

Desculpe esta maneira meio rude de escrever, mas neste tempo, desde que publiquei este Blog, recebi muitos e-mails de pessoas que como eu fizeram as mesma perguntas, sofreram pelos mesmos motivos e, assim como eu, apresentaram um espírito de inconformidade e revolta muito grande.

Como relatei no meu primeiro POST, estas perguntas, esta revolta me fez passar por diferentes especialistas, filosofias e curandeiros... A única coisa que descobri nesta jornada de enfrentamento é que o melhor remédio é a aceitação. A verdade. A humildade.

Como tirei minha habilitação? Como passei no psicoteste?

Na verdade, eu não passei! Mas tirei minha habilitação mesmo assim.

Como assinei meu nome no dia do meu casamento?

Na verdade, eu não assinei. Mas casei mesmo assim.

O que eu fiz?

Aceitação, Verdade e Humildade.

Você vai se surpreender como as pessoas são abertas e dispostas a lhe ajudar se você se abrir, se mostrar Honesto e Humilde.

Ainda na adolescência, quando percebi que assinar estava sendo um problema, reuni toda a minha força interior e fui renovar minha carteira de identidade com um só objetivo: Mudar minha assinatura. Minha assinatura era por extenso, assinatura ainda de criança, toda tremida. Aproveitei para criar uma rubrica extremamente simples e rápida de fazer. Treinei em casa uma forma de apoiar o pulso na mesa para dar firmeza e fui para o órgão expedidor da minha cidade. Expliquei o meu caso, que sofria de fobia social e não conseguia assinar na presença de outras pessoas, pedi um lugar reservado e assinei. Uma assinatura simples facilita MUITO.

Habilitação:

Como já havia procurado vários especialistas, pedi ao neurologista uma declaração dizendo que eu sofria de Tremor Essencial, que este problema faz com que minhas mãos tenham um tremor de baixa intensidade que limitam minha velocidade de escrita e fazem com que minha letra pareça trêmula. Na mesma declaração o médico afirmou que esta doença não limita de forma alguma meus reflexos motores, não influencia no meu equilíbrio e não interfere na minha capacidade de dirigir veículos ou qualquer outra tarefa do cotidiano.

Antes da prova, pedi á psicóloga responsável por aplicar o psicoteste para falar em particular. Expliquei o meu caso, entreguei a declaração e pedi a opinião dela sobre o que eu deveria fazer. Ela mandou que eu fizesse o teste normalmente e que ela não iria levar os tremores em conta na sua avaliação. Fui aprovado.

É claro que você corre o risco de pegar um examinador “casca grossa”, incapaz de compreender sua dificuldade. Neste caso também tem saída: a CNH Especial.

O Detran indica uma lista de clínicas credenciadas que poderão te examinar e emitir um laudo sobre a sua capacidade ou não de dirigir. Procure um neurologista cadastrado e converse com ele. Nesta alternativa é provável que você retire uma Carteira Especial – para pessoas com algum tipo de necessidade especial. Mas não há do que se envergonhar. Você TEM um problema que pode impedir a sua aprovação no psicoteste então use este que é um direito seu. É duro, mas temos que ACEITAR nossas fraquezas.

Casamento ou outras situações em que é preciso assinar:

Dois dias antes do meu casamento fui conversar com o padre em particular. Contei á ele que sofria de Fobia Social, que tinha pânico em escrever na presença de outras pessoas e que estava muito nervoso só de pensar em ter que assinar o nome na frente dos convidados. Pedí seu conselho. O padre se mostrou muito interessado, pediu detalhes e contei-lhe algumas historias de como este problema torna as coisas difíceis para mim. Muito compreensivo o padre sugeriu que eu fingisse que assinava na hora das assinaturas e que eu o fizesse no dia seguinte, sozinho em sua sala. Resolvido o problema! Minha ansiedade sumiu e tudo correu na perfeita paz.

Outras tantas ocasiões agi da mesma forma. Humildemente expliquei que sofria de Fobia Social, pânico de assinar com outras pessoas olhando, e pedi se não poderia assinar em um local reservado. Banco, cartório, comércio... Nunca recebi um não como resposta. No máximo acharam graça ou pediram mais detalhes. Nestes casos ria junto. Com o tempo até passei a achar graça também.

Estas práticas vão agindo na sua cabeça. Aquele problema enorme vai ficando pequeno, fácil de ser resolvido. Com o tempo deixei de sentir aquela ansiedade “vou ter que assinar, e agora??” . Simplesmente sumiu. Chegava na hora de assinar, me explicava, pedia um cantinho reservado e pronto. Em pouco tempo todas as pessoas do meu convívio já sabiam da minha dificuldade e eu nem precisava mais pedir. Gerente e caixa do banco, a moça do cartório, etc...

Você vai perceber que as pessoas são compreensivas e que não exigem que você tenha uma letra perfeita ou que assine sem exitar. Você não é perfeito! Ninguém é! Todos tem alguma dificuldade, frustração ou algum tipo de doença. Não é o fim do mundo.

O tremor essencial é um problema neurológico, mas é um problema pequeno. Na verdade é muito pequeno. O seu grande inimigo é o medo que você tem de não parecer uma pessoa normal para os outros. É ele que lhe limita e que dificulta a sua vida. E você vai descobrir isso.

Basta assumir, dizer a verdade e ter humildade – Eu tenho um problema NEUROLÓGICO que faz minhas mãos tremerem. Tenho um problema psicológico, uma fobia, que me dá pânico ao ter que assinar meu nome. Preciso de uma ajuda. Poderia me ajudar? Você permitiria que eu assinasse em um lugar reservado?

Você não tem nada a esconder de ninguém, não deve nada a ninguém.

Assim, como que misteriosamente, o problema vai diminuindo. No meu caso, praticamente sumiu.

Repito, não estou bancando o psicólogo ou especialista. Na verdade, estas foram as conclusões que cheguei baseado na minha própria vivência, nas minhas experiências pessoais. Pode ser que para você isso seja um grande amontoado de bobagens, afinal cada pessoa tem sua história de vida, cada caso tem suas características próprias. Se você tem estes “sintomas” de Fobia Social em decorrência dos tremores essenciais, aconselho mais uma vez a buscar ajuda de um bom psicólogo, de preferência que tenha conhecimentos de programação neurolinguistica, que foi o meu caso. Ele vai poder te ajudar muito a amenizar os seus problemas.

CURIOSIDADE:

A grande maioria das pessoas que conheci com tremor essencial são canhotos (inclusive eu).


Comente e conte um pouco da sua história também!!


Um Grande Abraço a Todos!!


105 comentários:

Paula disse...

Eu fico apavorada toda vez que eu leio historias de pessoas com tremor essencial, parece que estão lendo a minha mente porque é muito igual as historias não tem o que por nem tirar.Depois q conheci seu blog conheci varias pessas c/ TE.E desdee de então voltei a estudar(q. diga-se de passagem,ñ é facil),faça terapia e voltei a procurar um neuro que vai iniciar um tratamento c/ primidona q a 8 anos atras ja tomei mas ñ fiz direito o tratamento ,vamos aguardar ver o que vai dar. Abraços.Paulasganzerla@gmail.com

Ana Vaz disse...

Ola li varios comentarios sobre esse problema fiquei com coragem de escrever um pouco sobre mim, tenho o meu emprego mas o problema é que nao consigo assinar nada em frente de qualquer pessoa logo o meu coraçao fica a ferver os meus pés e as maos a tremer, tento concentrar um pouco mas nada, isso começou no inicio desse ano e agora estou pior, nao sei como fazer nao quero perder op meu emprego porque é tudo para mim.
Por isso peço ajuda, como ultrapassar esse problema, o que posso tomar porque tremo bastanta.
o meu Email é anasilvavaz@hotmail.fr

deko_sp disse...

Bárbaro seu post... faz tempo que sofro com esse problema, tento superar esta limitação a cada dia, a parte constrangedora é a pior, jamais pensei em abrir isso da forma que fez e aplausível, mesmo com essa tremedeira trabalho e faço faculdade estou para me formar o pior momento e falar em publico, as vezes não sai nada e se torna pior, mais temos que enfrentar... ainda não procurei um especialista este será meu próximo passo... obrigado pela criação deste blog!!! andre_pincelli1@hotmail.com

clau disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
clau disse...

Olá!!!Adorei o seu blog.É bom saber que existem pessoas como eu.Achava que era a única.Nem sabia que isso era uma doença.Meu problema maior é quando noto que as pessoas estão me obsevando.Imaginem ontem na hora da votação.Não consegui nem segurar a caneta na frente do mesário, tive que carimbar o dedão.
Agora que sei que é uma doença vou procurar um médico logo, pois sonho com o dia em que não terei que explicar minha tremedeira para as pessoas e ouvir deboches.
bjs clau_diinha@yahoo.com.br

carlosmsouza_rn disse...

Tenho 34 anos, moro em Natal/RN, e desde adolescência comecei a perceber os tremores. Nunca fui ao médico, mas numa conversa informal com um amigo médico ele me disse que possivelmente se tratava de TREMOR ESSENCIAL, disse que não era "mal de parkison" que é bem pior. Me sinto constrangido em segurar qualquer objeto (caneta, copo, microfone, lápis, etc). Os tremores aumentam quando estou em público e acham que as pessoas irão perceber. Vou marcar um neurologista, mas não estou diposto a tomar remédios, tenho receio de efeitos colaterais. Mas fico feliz em saber que existem mais pessoas com quem posso compartilhar esse problema. Me incomoda bastante. Não sei se vai soar mal, mas será que a gente pode usar isso pelo menos para concurso público?
Abraço a todos.
carlosmsouza_rn@hotmail.com

Rodrigo disse...

tenho tremor por causa de fobia social. acho que seria interessante criar um grupo de discussão sobre o assunto.
rjf1974@gmail.com

Pierre - Suporte Técnico em Informática disse...

Muito "bom" saber que existem outras pessoas com as mesmas dificuldades que eu (aqui não vou dizer problema e sim dificuldade), acho que fica mais "leve". É isso aí pessoal precisamos nos unir e conversarmos mais sobre esse assunto. Muitas vezes achamos que somos os únicos com essas dificuldades e quando vemos que existem outras pessoas "iguais" a nós, ficamos mais reconfortados.
Abraço a todos e lembrem-se, nunca devemos recuar sempre devemos enfrentar as cituações que nos deixem nervosos ou ansiosos. Experiência própia, todas as vezes que recuei me senti triste, impotente, incapaz, etc. Mas todas as vezes que enfrentei e consegui (mesmo tremendo), me senti forte, vitorioso, ÚTIL, e com uma sensação de levesa incrível.
Força pessoal!!!

Márcio Verde disse...

Olá ! Sou Márcio, 32 anos e tenho também esse esse problema e sou destro, diferente do autor do texto. Meu problema é exclussivamente para escrever meu nome, pois não tenho qualquer timidez em falar em público, etc. Meu problema parece estar relacionado a uma dificuldade extrema em decorar e fazer os mesmos movimentos das mãos para repetir uma assinatura, apesar de eu ter certa dificuldade em escrever outra palavra qualquer. Por isso uso quando posso letras de forma porque parecem mais fáceis. Mas no caso da assinatura a situação realmente fica mais grave quando alguem está por perto, mas a minha dificuldade acontece mesmo sozinho, no conforto da minha casa. No meu caso além da fabia social parece que há fobia da própria escrita, principalmente com letra corrida. Se alguem quser saber mais detalhes meu e-mail é marciosferreira@yahoo.com.br.

Prof. Ms. Ivan Dauchas disse...

Tenho 46 anos e comecei a sentir dificuldade para escrever com vinte e poucos anos. Hoje não consigo escrever absolutamente nada. Saem apenas alguns garranchos completamente ilegíveis. Mesmo quando estou em casa, totalmente relaxado, eu não consigo escrever. Quando pego uma caneta, meu coração dipara e começo a tremer. Recentemente tive de me submeter a uma prova escrita. Duas horas antes da prova, com o estômago vazio, tomei um comprimido de propanolol outro de primidona e mais 30 gotas de revotril. Consegui fazer a prova. Fiquei sonolento, mas consegui. Não é nada bom ter tremor essencial. Mas felizmente existem algumas drogas que podem nos ajudar em uma emergência.

Luciana disse...

Luciana
Puxa, estou aqui lendo os comentários feitos por pessoas q nem conheço, mas q tem as mesmas dificuldades... Confesso q jamais imaginei q a sensação q tenho de tremedeira, ansiedade, nervosismo ao assinar qualquer documento em público fosse uma doença... Fico submetida a este tipo de situação no meu dia a dia, pois, assino vários documentos diariamente, mas a minha sorte é q ao assinar grande parte deles estou sozinha em minha sala... Hoje mesmo tive q assinar documentos importantes e só aí me dei conta q tinha q procurar informações a respeito das sensações horríveis pelas quais tenho passado e, então descobrir se tratar de uma doença. Vou procurar o mais rápido possível um especialista, pois, é muito difícil, me sinto péssima cada vez q esta tremedeira toma conta de mim e atrapalha o desenvolvimento do meu trabalho e da minha vida pessoal.
Parabéns ao autor do blog e a todos q tiveram coragem de compartilhar um pouco de suas dificuldades que, no final, são todas muito parecidas, inclusive a minha. Abraços.

Alex disse...

Descobri o blog hoje, muito bom, parabéns!
E os relatos contados parecem a história da minha vida. Descobri o T.E. a menos de 1 ano e venho tratando principalmente a ansiedade, que aumenta bastante os tremores. Sempre foi muito difícil assinar um contrato, um cheque (desisti anos atrás e ainda bem que cheque virou coisa do passado, rsrs) e outros documentos.

josé alcides disse...

José Alcides.
Adorei os comentários das pessoas que tem medo de escrever.
Tenho 49 anos e tinha notado que desde 25 anos que minhas mãos tremiam qdo escreviam.Apesar de não ter nenhuma fobia social,sentia dificuldade quando ia assinar algum documento.
O tempo passou e as coisas pioraram.Descobri após vários médicos que eu tinha a "SINDROME DO ESCRIVÃO".Doença neurológica que não tem cura mas pode ser controlada com uso de aplicações de BOTOX.Estas aplicações são injeções realizadas nos tendões do braço que são responsáveis pelos movimentos das mãos.O efeito é relaxar os tendões ficando as mãos sem força e apresentando uma paralisia parcial em alguns dedos.Com isso,controla durante uns 5 meses estas tremedeiras.Segundo os médicos a tendência é não fazer mais efeito pois o organismo começa a se acostumar com a medicação.
Com o problema em si, comecei a ter fobia em escrever pois mesmo com o medicamento há um reflexo devido a fobia.Estou com este tratamento a 6 anos mas continuo com o problema principalmente qdo vou assinar algum documento importante.
Se alguém tiver uma outra solução ou querer comentar o assunto meu e-mail é "jabb_2005@yahoo.com.br
Vamos nos unir para minimizar este problema.Um abraço a todos.

fake disse...

meu nome é Fernando, foi maravilhoso encontrar este blog e pretendo voltar aqui várias vezes pois me identifiquei com a sua história.

Já tentei tratamento com 3 psicologos mas nao resolveu, sofro com isso ha 4 anos consequentemente nao tenho emprego nem estou estudando, gostaria de saber como você toma coragem para contar as pessoas sobre isso, pois pra mim é o fim do mundo, se alguem aqui quiser conversar a respeito deixo aqui meu contato Fernando_407@hotmail.com um forte abraço a todos aqui e desejo que todos encontrem o caminho certo ate +

ocolega disse...

já tentei algumas iniciativas do pessoal discutir isto mas parece que não rola... parece também que ninguém conseguiu sucesso... internet tem o problema de ter muita gente falando besteira ou simplesmente copiam um texto. as pessoas começam e somem.
Este blog é otimo.
Mas o fobico social quer se ver livre dessa droga e não pedir pra dar licença etc. tudo que ouço da fobia social diz respeito a não ligar para o que os outros pensam. parece que tenho mesmo dificuldade de ligar o F#%@$&E.

ocolega disse...

outro dia fui assinar um documento e estava sozinho. fiquei petrificado. de repente me deu uma raiva enorme eu fechei a mão com toda a minha força e disse com furia que ia assinar aquela porcaria!! assinei todas as folhas restantes... em geral não tenho travamentos assim... sou como o windows.. só de vez em quando!

ocolega disse...

existe um livro antigo que chama:
LIBERTE SUA PERSONALIDADE! DE Maxwell Maltz. É O LIVRO QUE CHEGA MAIS PROXIMO DO PROBLEMA. ELE CHAMA DE TREMOR DA INTENÇÃO... AS PESSOAS COMO NÓS SÃO MUITO BOAZINHAS. SONHAM COM UM MUNDO CERTO! E O PIOR QUEREM ISTO! DIFICIL É MUDAR AS CABEÇAS... ACEITAR-SE. MEU PAI E OUTRAS PESSOAS CRITICARAM MINHA LETRA! ISTO ME ARREBENTOU... TENHO QUE LUTAR COM ISTO!

ocolega disse...

o maxwell maltz fala do boxe sombra. vale a pena comprar um caderno e todo dia treinar a assinatura. Melhor se vc não estiver com saco pra fazer isto.. vc começa a tomar nojo disto.. rsrsrs! muito bom...
ainda não é garantia mas ajuda..outra coisa é tentar melhorar sua qualidade de vida.. exercicios e investigar uma dieta.

ocolega disse...

o assunto é mais complicado que parece. eu tenho medo de errar associado com a fobia de uma pessoa me pressionando. também quero agradar as pessoas. tenho medo do que os outros vão achar etc... no geral as pessoas estão pouco se lixando pra mim, mas eu quero impressionar. isto é errado.. infelizmente é dificil de mudar. MAS NÃO IMPOSSIVEL!!!!!!

ocolega disse...

conheço gente que tem uma letra feia e não tão nem aí!!!!
que inveja!!! rsrs...
se alguém puder ajudar. por favor faça as honras... pq nem psicologo ultimamente tá a fim de ajudar... outro dia liguei pra um que não quis me falar o valor da consulta... tá mais enrolado que eu...

ocolega disse...

estou chegando a conclusão que pessoas como eu.. precisam de uma total reformulação de habitos.. PRECISAMOS DE OBJETIVOS.
NUMERO UM: GOSTAR MAIS DE NÓS MESMOS.. APESAR DO MUNDO!!!!
abraço

pry disse...

Fiquei de certa forma feliz em saber que o meu problema não é o unico,há 4 anos qdo trabalhava,fui pressionada por um colega de trabalho a cobrar ferias atrasadas,fui receber meu pagamento e não consegui cobrar e nem assinar meu recibo,comecei a tremer de uma forma que me impossibilitou totalmente de assinar aquele papel,a partir de então todo dia de pagamento p mim era uma tortura.Conclusão ,fui demitida!Só de saber que preciso assina algo ja fico tensaé mto dificil pois minha vida parou,me sinto mto incapaz de qualquer coisa.Gostaria mto de um apoio seu e trocar experiencias,pois não tenho com quem conversar sobre isso.meu e mail é priscilab.nunes@gmail.com

nilsinhoviola disse...

Olá amigos! Tenho 40 anos e comocei a notar o problema aos 23,aproximadamente. Sou canhoto e devido ao tremor, comecei a escrever com a mão direita. O problema é que, talvez pela falta de habilidade para tanto, acabo fazendo muita força para segurar a caneta corretamente e ,possívelmente por isso, desenvolvi uma dor no ombro direito. A questão é que essa situação toda afeta nossa vida de uma maneira muito prejudicial, uma vez que diminui a auto estima. Mas, sem dúvida alguma, encontrar este blog, e saber que não sou nenhum 'ET' já alivia bastante. Abraço a todos. Nilson.

. disse...

Tenho 19 anos e desde criança apresento tremores essenciais.
Tremelique, treme-treme, terremoto, foram alguns dos apelidos ao longo da adolescência.
Apesar de constrangedor não me importava muito com isso, sempre levava as situações com bom humor.
Não possuía a menor inibição em falar ou escrever em público. Adorava apresentar trabalhos e/ou resolver exercícios no quadro quando o professor permitia ou solicitava.
No entanto, ao longo da minha adolescência passei a desenvolver um quadro de fobia social.
Lembro-me que tal fobia teve início durante a apresentação de um trabalho na quinta ou sexta série. Meus tremores nativos e, até então, "aceitáveis"(pouco perceptíveis), foram extremamente potencializados pelo nervosismo e ansiedade.
No momento da minha apresentação meus tremores já estavam bem mais intensos do que o de costume, e a turma logo percebeu. Resultado: meu nervosismo e, consequentemente, os tremores, tornaram-se incontroláveis à medida que eu notava a percepção alheia (uma espécie de "feedback" positivo), e não consegui dar continuidade à apresentação.
Depois desse dia nunca mais fui o mesmo.
Passei a evitar ao máximo apresentações de trabalhos ao público, principalmente, quando se fizesse necessária a execução de movimentos que exigissem coordenação motora, como escrever ou manusear objetos.
À princípio o meu problema se limitava a apresentações ao público.
No entanto, o quadro foi se agravando e, atualmente, tenho pavor em ter que assinar, escrever ou realizar qualquer atividade motora (com as mãos) quando estou sendo observado.
Final do ano passado, por exemplo, fui prestar vestibular e, ao contrário de todos, não estava preocupado com o grau de dificuldade da prova ou se obteria ou não êxito, minha preocupação era apenas uma: o momento da assinatura.
O coração dispara quando a fiscal começa a passar com a lista, tento me concentrar e me auto-convencer de que não passa de uma simples assinatura e que se eu mantiver a calma ficará tudo bem, mas de nada adianta. À medida que a lista se aproximava eu ficava mais e mais nervoso a ponto de não conseguir segurar a caneta para assiná-la. Aproximadamente 1h de prova perdida por causa da maldita assinatura.
Disse que estava passando mal e pedi pra assinar fora da sala, em um canto reservado.
Passado tamanho estresse, a prova era o de menos, voltei para a sala mais leve do que uma pena e consegui obter sucesso.
No entanto, os momentos de tensões pré-assinatura, são agoniantes, extremamente danosos e só quem sofre dessa ou alguma outra fobia pode descrever.
Estou para tirar a minha habilitação e tenho consciência de que o meu maior desafio será o psico teste.
Vou procurar algum neurologista e pedir algum medicamento para tentar amenizar meu problema e pedir um laudo, assim como o autor, para justificar a tremedeira.
Espero que tudo termine bem.
Tenho certeza que a honestidade e a humildade é mesmo o melhor caminho.
Espero que com o tempo e orientações, possa me livrar ou, pelo menos, aprender a conviver com esse mal

Lia disse...

Ola,
sofro do mesmo problema que voces a muito tempo, desde a adolecencia. Nunca fui ao medico porque achava que isso fosse desaparecer com o tempo. Hje estou muito triste pois tive uma crise essa semana na frente de uma monte de pessoas no cartorio onde fui assinar um documento, tive que dizer para a atendente que não conseguia assinar pois tinha panico e logo um monte de gente olhava pra mim. Foi Humilhante, tomei a iniciativa de procurar ajuda, vou a um medico mas antes precisava saber se existe mais pessoas com o mesmo problema que eu, entao encontrei este blog e fico um pouco mais confortada até. Meu caso é muito igual. O pior que fiz faculdade de letras pensando que com isso melhoraria e hje nao consigo atuar na minha profissao por medo. Alias não consigo nem procurar emprego pois sei que em todos os lugares é preciso escrever. Sou autonoma e vivo me escondendo de mim mesma. se alguem quiser me escrever para poder desabafar melhor é liamezz@hotmail.com

CHP disse...

Sempre que tenho que assinar em público, tento tirar a atenção da pessoa que está próxima, fazendo algum comentário sobre qualquer coisa, para tentar desviar o foco da minha escrita. Ajuda um pouco, mas isso é bem chato.
Acho que da próxima vez vou falar que tem uma barata no chão, assim todos saem de perto e posso assinar mais tranquilo ... rsrsrs (só para descontrair).

混血子 disse...

Fantástico! Fabuloso! Por expor a situação de maneira tão natural e tão verdadeira. Também tenho tremor essencial, desde a infância, e agora tenho 41 anos. Meu maior obstáculo é a escrita, e já tive que pedir auxílio ao caixa do banco para preencher a guia de depósito (quando existia isso). Sou médico, acupunturista e professor de Tai Chi Chuan. E o Tremor segue, só me incomodando quando me incomodo com ele.

nana disse...

bem,ha quaze 7 anos sofro com isso e o pior e que quanto mais o tempo passa pior fica. tremo ate em assinar meu nome quando estou sozinha,fiquei as duas ultimas eleiçoes sem votar pois tinha que assinar e outros documentos meus estao cancelados pelo mesmo motivo..o medo de assinar e passar vergonha sei la. amanha terei que ir ao cartorio e desde ontem estou aflita e horrivel esta sensaçao e so nós que passamos por isso sabemos do quanto e ruim.bem gostaria de ter contato com pessoas que tenha o mesmo medo que eu pois me sinto muito sozinha sobre este assunto... alguem pode me ajudar

Chuva disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Chuva disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
cris disse...

Olá, meu nome é Crislaine e faz mais ou menos 1 ano que convivo com o tremor essencial, não sabia que era esse o nome, achava que era por causa do café(pois no escritório ele é mais forte e tomo com frequencia) e também por causa do estresse. Quando comecei a trabalhar e tive que almoçar em meio a um monte de desconhecidos não consegui beber o suco, cada vez que eu tentava conseguia alcançar menos o copo na boca pois tinha mais vergonha, e vi que alguns caras olhavam e não sabia se estavam "paquerando" ou observando o meu problema. Depois de um tempo comecei a sentar na ultima mesa com meus colegas e de costas para os outros que não conseguia (foi muito mais fácil). Sabe, também sou CANHOTA. No meu Trabalho preciso assinar todas as Notas Fiscais então quando eu esquecia de assinar alguma e vinham me pedir p/ assinar ficava horrível, então criei uma rubrica com as minhas iniciais CL. Tenho convivido bem sei voltar as situações, mas o tremor não passa só qndo estou bem calma e longe de pessoas desconhecidas. Adorei (muito!!) seu post nossa é a realidade, pelo menos sei que não é só eu e que posso procurar auxílio. Obrigada fiquei até emocionada, ontem mesmo fiz a unha da amiga da minha mão e ela se apavorou como eu tremia. Obrigada vou procurar auxílio com um médico. Qualquer coisa cris_llzrs@hotmail.com falem comigo.

BarrosFilho disse...

Cara, que barato ter descoberto este blog!!!!! Sofro há anos com esse problema, que aliás, nem sabia o nome "tremor essencial" e, como geralmente acontece, pensei que fosse só eu...Inclusive, ontem, conversando com o meu parceiro, relatei todas as situações horrorosas que já passei e que ainda passo, todas as vezes que me vejo obrigado a escrever em público. Ele, claro, como uma pessoa sensata que é, não esboçou nenhuma reação de espanto ou desconforto, como normalmente acontece quando a gente tenta explicar essas "coisas" a alguém que não temos tanta intimidade... por ouvir a minha história. Não tenho a menor ideia de quando comecei, efetivamente,a apresentar esses sintomas, só sei que é angustiante!Engraçado é que lendo os comentários, dá a impressão que foi eu quem os escreveu, é mole? dadas as semelhanças de manifestações...Num desses comentários a pessoa afirma que os tremores, não acontecem somente quando ele tem que escrever em público, não! Mas, mesmo estando em casa, sozinho...exatamente como acontece comigo! Acredito, que eu tenha adquirido o "pânico" da escrita...só pode! De qualquer forma, só o fato da gente saber que esse "problema" não é, exclusivamente nosso, nos estimula bastante e nos impulsiona a procurar ajuda, né mesmo? Pra vocês terem ideia da dimensão do meu problema faz mais de vinte anos que tranquei meu curso numa faculdade e a até hoje, nem voltei a tal instituíção e nem me aventurei em outra...pelo pânico de pensar que terei que escrever uma redação e, pasmem, só de saber que terei que preencher fomulários... É,gente,pra quem tá de fora,pode parecer uma besteira e tanto, mas, não é bem assim!!!Fico feliz de poder desabafar aqui, neste blog, minha neurose e perceber que, agora(talvez um pouco tarde...será?),terei estímulo em procurar ajuda e me superar!!!
Abraços a todos...edivaldorb@gmail.com

Chuva disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jonas disse...

Oi!Adorei o blog,e é a primeira vez q procuro algo na internett para saber o q tenho.Assim como a grande maioria aqui eu também achava q eu era o único a ter isso.Tenho 20 anos e desde os 13 tenho meus tremores!sinto muita vergonha na frente das pessoas.Já procurei muitos médicos,e a grande maioria deles não souberam explicar o q era!
De uns tempos pra cá cheguei até a me revoltar com Deus por ter isso!Não me conformo!
Já perdi grandes sonhos meus por causa dessa tremedeira!
Não consigo fazer prova nenhuma para concursos,pois não consigo marcar o gabarito!
Tenho médico para semana q vem,vamos ver se dessa vez vai dar tudo certo!
Grande abraço a todos!
jonascabrini@hotmail.com

Leandro Taberna disse...

Eu tenho o mesmo problema... Sou artista, desenho muito bem e adoro tatuagem, mas passei os últimos 3 anos da minha vida como aprendiz eu um estúdio de tatuagem, tendo que "lidar" com a minha tremedeira na hora de tatuar o voluntário, ou o cliente. Os trabalhos até que não ficavam ruins, mas eu sabia que se não fosse o maldito tremor, ficariam muito bons e me gerariam mais clientes, coisa que não acontecia, pois o tremor não inspira confiança num tatuador, nem pro seus amigos. Hoje tive de largar com muita tristeza, e me submeter a mais um emprego de merda. Estou pensando em procurar um neurologista. O que fazer?? Aceito sugestões. email: lquiquio@yahoo.com.br. Leandro

Neia disse...

Ola, tb tenho o tremor e para completar minhas duas filhas tambem apresentam o problema e é muito chato, pois sempre me sinto limitada aos olhares de terceiros, faço uso do propanolol, mas infelizmente não sinto significativa diferença, quem sabe um dia havera algum tratamento com maior eficacia. Foi um prazer em conhecer este grupo.

alex disse...

Oi, bacana o blog, tem 18 anos que convivo com esse problema, assinar meu nome na frente de outras pessoas ou qualquer documento importante é um caos. Mas o convívio com a doença me fez criar algumas estratégias e foram elas que me ajudaram a dar aula de biologia e tocar guitarra em várias bandas, por isso eu estou aqui para deixar minhas dicas, então lá vai:

1ª- o foco é importantíssimo, se for fazer alguma coisa que irá te causar tremores, tente se distrair, esqueça que você está lá para assinar alguma coisa, converse;
2ª- As filas aumentam nossa ansiedade, se possível evite-as;
3ª- A rubrica também é importante no caso de várias assinaturas;
4ª- Assuma que sua letra é horrível devido o tremor e sempre enfrente o documento;
5ª- Essa é uma das dicas mais importantes e que mais funcionaram comigo: Faça atividades físicas, todas as vezes que eu permaneço por um período maior (meses) fazendo musculação os tremores diminuem em torno de 80% e em certos casos simplesmente desaparecem, mas é só parar que eles voltam.
Um abraço a todos espero que tenha ajudado.

TESTE disse...

Olá tudo bom com todos? Espero que sim. Bom,cheguei até o blog pesquisando sobre o problema de escrever na frente de outras pessoas o qual me afeta com maior intensidade a cerca de 2 anos. Antes pensava que só tinha vergonha em escrever na frente de outras pessoas por a minha letra ser feia, isso por que nunca gostei de escrever e quando vazia era com pressa e sem atenção. Mas esse problema começou a se agravar e vi que mesmo não ligando para o que os outros iriam achar da minha letra, eu não conseguia escrever ou assinar nada com outras pessoas juntos de modo tranquilo. Li os comentários e os artigos do blog e fiquei triste por saber que até o devido momento o Tremor Essencial não tem cura e também não é de conhecimento da população.

Gostaria de saber se o autor do blog ou algum participante sabe alguma coisa sobre tratar o Tremor Essencial com técnicas de PNL, DHE ou Hipnoterapia.
São assuntos que pesquiso já algum tempo por hobby e como o uso destas técnicas podem auxiliar no tratamento de problemas neurológicos, e psicológicos.
Se algum tiver informações sobre isso seria muito legal compartilhar.

Agradeço pelo serviço prestado a todos os que aqui estão.
Muito grato mesmo. Boa sorte a todos.

Chuva disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
gleicicarvalho disse...

li esses comentarios aos prantos pq nao sabia que existia pessoas com o msm problema que o meu, lendo isso me vi em varias situaçoes que vcs descreveram aq sofro com isso a alguns anos so que no dia do meu casamento que tive que assinar na frente dos meus parentes, amigos e juiz ficou muito pior desde esse dia pra ca evito situaçoes em que tenho que assinar algo ,vou procurar um medico assim como varios de vcs tenho sonhos que nao realizo por ter esse problema so quem tem isso pode entender é horrivel viver nessa situaçao mais tenho fé que vou melhorar .... abraços pra todos e muita força...

elian disse...

Um olá para todos que sofrem de " mãos trêmulas " como eu. Também sofro muito com isso, há muito tempo, mas mesmo assim conclui um curso de magistério e faço faculdade de Pedagogia, por ironia sou uma professora que não consegue escrever normalmente. Tenho receio de não realizar meus sonhos pois há anos luto contra essa dificuldade, porém não desisto e luto contra a realidade. Deixo aqui mais umas história de superação.

jerton disse...

Parabéns pela iniciativa, como a Paula disse, dividimos as mesmas experiências, sem tirar ou pôr, e é muito bom poder ter contato com outras pessoas com o mesmo problema. Meu maior problema é sem dúvida a escrita, o que desencadeou uma fobia muito maior, temendo pelo meu emprego e futuro sustento da família. Vou casar em 15 dias e acho que seguirei teu exemplo quanto à assinatura da certidão. rsrs. Mais uma vez parabéns pelo blog, gostei muito e estarei sempre por aqui. para troca de experiências jerton_cvv@hotmail.com
abraços

Du disse...

Bem! nem tenho como explicar mais esse seu gesto em escrever sobre o tremor me da motivos e forças para seguir em busca dos meus objetivos.
Sofro tbm com o tremor, suas palavras conforta a todos.No ano passado procurei um Neuro e ele me disse exatamente a mesma coisa. Parabens!!!! pelo seu post.

Stela disse...

Sabe sinto estas coisas e é horrível mas Deus tem me ajudado até aqui em tudo mas creio que ele pode me libertar e nos libertar disto pois muitas pessoas dão risada disso mas só eu e Deus sabe o quanto é difícil. Atuamente procurei um pisicólogo e ele disse que nunca viu este caso e passei este blog para ele ver. Espero que isto me ajude. Creio que Deus pode me libertar pois só nele encontro forças para lutar...

Eliane disse...

OI.
TENHO O MESMO PROBLEMA,INFELISMENTE
TENHO MEDO DE PROCURAR EMPREGO,PORQUE SEI QUE NÃO VOU CONSEGUIR ESCREVER.
POR CAUSA DA TREMEIDEIRA,NÃO CONSIGO SEGURAR A CANETA.
FUI FAZER UMA PROVA PARA EMPREGO,E NÃO CONSEGUI,ME SENTI MUITO ,MAL
VENDO TODO MUNDO NORMAL.ME SENTI UM E.T.
ESSA TREMEDEIRA TEM ATRAPALHADO MUITO A MINHA VIDA.NÃO SABIA QUE ERA UMA DOENÇA.
PARABENS PELO BLOG

Andriele disse...

oi,eu sofro com o tremor tem uns 3 anos e só agora resolvi procurar um neurologista,pois veio a piorar a situação..
Tenho muito medo de não conseguir me classificar em alguma seleção de emprego.
o que devo fazer nestes casos,levar um laudo médico?
e para fazer provas de concursos públicos posso me inscrever como deficiente?
eu fico muito triste com isso tudo,pois eu sempre fui uma adolescente que adorava a escrever cartas,poemas...de tudo;E hoje com meus 23 anos ja na vida adulta,me sinto travada de fazer aquilo q eu gostava de fazer...
parabéns pelo o blog,abriu bastante minha mente,sobre como agir em certas situações!
bjs

Nádia disse...

MEU FILHO DE 17 TREM TREMORES NAS DUAS MAOS A ALGUM TEMPO. O QUE ME PREOCUPA PELA SUA POUCA IDADE. O QUE FAZER?

Nádia disse...

MEU FILHO DE 17 TREM TREMORES NAS DUAS MAOS A ALGUM TEMPO. O QUE ME PREOCUPA PELA SUA POUCA IDADE. O QUE FAZER?

Maria Das Graças Rufino disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
jhonn disse...

oi nunca pensei que fosse uma doença meu caso. tenho 32 anos e estou me dedicando a caligrafia pois não consigo escrever na frente de outras pessoas, tenho tanta tristeza e o pior é que trabalho na area de topografia que atodo momento tenho que fazer anotações e procuro passar á limpo á noite.

Thamy Silva disse...

Estou muito contente de ter descoberto esse blog hoje...tenho 22 anos e sofro com esse problema há mais ou menos uns 3 anos e tento sempre amenizar de alguma forma as situações constrangedoras e angustiantes pelo qual eu passo..estou muito chateada, pois estou no terceiro ano da faculdade e esse problema parece estar aumentando..na verdade não é o tremor que está aumentando, mais sim as situações em que preciso me expor ou escrever..vou procurar ajuda médica, mas com certeza compartilhar experiências é a melhor ajuda para nós..se alguém quiser me adc meu msn é thamysemprebom@hotmail.com

jhonn disse...

eu fico muito triste por não conseguir ass. cem tremer.

danieldepaula1 disse...

Eu fico muito triste em não pode fazer uma coisa tão simples, que é assinar o meu nome em público. Mas ao mesmo tempo, fico feliz em ver pessoas dispostas a ajudar uma a outra.Mais eu creio em um Deus que faz milagre.E eu profetizo neste momento, que todos os meus amigo que tem este problema vai ficar curado em nome do nosso senhor Jesus Cristo. Amém!!!!!!!

celecoelho disse...

Como é complicado lidar com este problema! Evitei de votar hoje só pra não passar constrangimento. Mas sei que não vou poder fazer isso pra sempre até mesmo porque precisamos não só de ajuda mas de superação. Então convido a todos os meus colegas de sofrimento que formemos um grupo de auto ajuda pra desabafarmos uns com os outros sobre situações em comum, pois assim encontraremos forças para vencermos esta barreira que nos impede de realizarmos tantas tarefas importantes e que se apresentam monstruosas para nós.Não sei se aceitar é a melhor saída, mas pelo menos devemos lutar juntos contra esse mal. MEU CONTATO É leitehpr@hotmail.com

danieldepaula1 disse...

Hoje mais uma vez eu fique nervoso na hora de votar. Fico muito triste com isso! Não ter o controle do seu próprio corpo é muito ruim, não gosto de passar por estes constrangimento.
Tomara que Deus cure todas as pessoas que tem este problema.

21 disse...

Sempre que eu vou escrever em público, seja na escola, em um hospital ou pra assinar documentos, tremo, e não consigo escrever, parece que a mão vai sair correndo, é muito ruim!!!
MAS...
teve uma vez, não sei como, que eu consegui assinar tranquilo, mas acho que era porque a mesa tava alta..

Carla Silva disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carla Silva disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carla Silva disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carla Silva disse...

Adorei o seu blog, muito bom mesmo. Também tive tremor essencial, fobia social e ataques de pânico. Explorei imenso a net e inclusivamente já por aqui tinha passado. Reparei no "aceitar" o pânico, o problema, sem dúvida que esse aceitar foi para mim um passo de mágica na direção certa, vi isso também num artigo sobre fobia social e pânico (http://www.lifecoachpnlp.com/pt/p09-sindrome-panico-fobia-social.html) que tem alguns exercícios para aceitarmos essa nossa condição, desde que comecei a aceitar e a "falar" com essa minha parte que tudo mudou bastante para mim :D:D:D Continue o excelente trabalho que tem feito neste blog, parabéns!

Iuri Bendek disse...

Fiz questão de ler todos os depoimentos (...). Estou
emocionado com as similaridades das situações vivenciadas pelas pessoas que apresentam o tremor essencial. Tenho 25 anos, e há uns 10 anos convivo com esse problema que afeta e muito a minha qualidade de vida. Nos exames que prestei, minha maior preocupação também não era com a prova em si, porque eu havia estudado, mas com o momento de assinar meu nome, nossa era um verdadeiro martírio. Eu ficava muito mal com isso, por pensar o quanto um ato tão simples podia me deixar tão inseguro. Pensei eu várias doenças (Parkinson, Hipertireoidismo), mas nada de errado aparecia nos exames médicos. E engraçado, que pra mim isso era bem pior, porque eu não sabia o que eu tinha de fato. Até que recentemente, pesquisando sobre a fobia social, descobri que o tremor essencial também é um dos sintomas. Acho que já é um começo reconhecer que existe um problema e que é preciso ajuda. Agradeço pela transparência de todos que deixaram seu pequeno relato através desse canal, isso é de grande valia para muitas pessoas que podem estar passando pelo mesmo mal. Grande Abraço!

Gisele disse...

Olá, meu nome é Gisele e faz uns 15 anos que sofro de tremores essenciais, não consigo assinar nem documentos de entregas do carteiro. Agora ficou pior, sou organista e quando vou tocar tremem as mãos e os pés, é horrível tenho que fazer um esforço enorme, me concentrar, controlar a respiração e coração que fica disparado. Só quem tem isso sabe a qualidade de vida q levamos por não conseguirmos enfrentar esses medos.

lucelia cavalheiro Cavalheiro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
celina disse...

celina disse.... eu fico com minhas mão trêmola quando vou,escrever,assinar em publico,nossa parece que todo mundo para para me olhar,ai naõ para de tremer,naõ sabia que para esse problema,eu tinha que procura um medico,vou procura um medico logo,adorei esse blog.....

celina disse...

ESPERO que todas as pessoas,encontre ajuda nesse blog..e muito importante estar alerta..nesse problema.....

Eliane disse...

ELIANE
OLÁ
ALGUEM TOMOU REMEDIO PARA ESTE PROBLEMA E OBTEVE SOLUÇÃO?
POR FAVOS ME AJUDEM.ESTOU PROCURANDO EMPREGO E JA ESTOU COM MEDO DE PRENCHER FICHA E FAZER ENTREVISTA.
NÃO CONSIGO CONTROLAR ATREMEDEIRA.
É COMPLICADO.
DESED QUANDO ACHEI ESSE BLOG FIQUEI SABENDO QUE HÁ BASTANTE PESSOAS COM ESTE PROBLEMA.

Cristiana de Castro disse...

Quando busquei no google "Fobia de assinar o nome", pensei que jamais encontraria esse assunto, por julgar eu a única a ter esse problema. Formei-me em Letras e, nesta época, não tinha nenhuma dificuldade, a não ser a inibição extrema de dar aula, ou seja, adoro português, mas não consegui exercer a profissão. Por algum tempo optei pelas revisões textuais, via email, de monografias e outros. Aos 21 anos(hoje tenho 42), tive síndrome do pânico e a causa não foi identificada, pois não procurei um especialista e fui tratada por medicamentos apenas por um neurologista. Nunca fui de tremer a não ser nas crises...Alguns momentos em minha vida marcaram esse pavor, como o dia do casamento civil, em que tive que assinar meu nome sob os olhares de outros e posando para foto(foi a primeira vez que me senti muito mal em ter que assinar, mas assinei e só ficou da impressão dos outros um nervosismo momentâneo e totalmente aceitável). Então passou... Tirando outras fobias, como a manifestação em público, nunca mais tive problemas em assinar meu nome ou escrever em público. Hoje, há alguns meses, por conta de problemas pessoais, crise conjugal e problemas financeiros, esse pavor ressurgiu com toda força. Na votação foi um terror nos dois turnos e levar meus filhos ao médico, em que tenho que assinar por eles, virou um verdadeiro e extremo desconforto, se não um verdadeiro pavor. Há momentos que nem assinar consigo, pois travo e fico olhando para as pessoas, criando desculpas como dores musculares na mão e estou pensando até em imobilizar a mão para facilitar a justificativa, negar para todos a verdade e poder ter o direito de não assinar. Procurar um especialista já me dá pavor também, pois tenho que assinar a guia do plano de saúde e falar de um problema que pra mim, até então, era unicamente eu. Fiquei um pouco mais tranquila ao saber que outros tem esse problema, mas ainda me encontro na fase de "fuga", se eu puder evitar, não vou, não assino. Só que isso não pode existir, pois assinar o nome é necessário em vários momentos de nossa vida cotidiana. Como me sinto? Apavorada, em fase de negação, sem a menor CORAGEM de falar e assumir esse problema. Tomo alguns medicamentos para ansiedade, inclusive antes de enfrentar esse problema, mas não vem surtindo efeito, simplesmente tremo ou "travo". Queria mesmo era um milagre e fazer com que tudo isso suma, mas isso não existe. Sinto-me UM POUCO mais aliviada ao saber que existem outros e ler tantos relatos parecidos, mas ainda esperando um milagre. Obrigada por esse blog e, se puder escrever algo bem direcionado para o meu caso, eu agradeço. Preciso de qualquer palavra, de compreensão, de atenção e alento... Grata.

Veroncio Malaquias disse...

Olá! Pesquisei, no google, sobre o medo de assinar e encontrei esse blog. Tenho 41 anos e esse problema há muito tempo me persegue. Trabalho na secretaria de uma escola e sempre fico trêmulo quando tenho que assinar algum documento com alguem por perto. Sou tesoureiro do Conselho Escolar e foi muito constrangedor quando tive que ir ao banco, juntamente com o presidente do conselho, para abrirmos a conta do mesmo, pois, eram várias assinaturas e tremia muito ao ponto das mesmas sairem diferentes. Sempre que vou fazer algo e sei que terei que assinar em publico, minhas mãos ficam suando frio. Nunca procurei ajuda de um especialista e, apenas, minha esposa sabe desse problema. Espero alguma palavra que me ajude.
Até outro momento.

Angel disse...

Olá! Pessoal, hoje estou me sentindo o cocô da mosca que pousou no cavalo do bandido. Então imaginem como estou. Tenho pavor de escrever em público, seja na assinatura de um documento, seja uma anotação. Tenho que participar de uma atividade no trabalho onde é necessário escrever números em uma lousa. Minha letra não é feia, mas fico tão nervosa que escrevo uns carranchos inelegíveis, morro de vergonha, tenho vontade de fugir, porque é uma coisa tão boba. Como posso ser incapaz de escrever uns números em uma lousa, se consigo fazer tantas outras coisas mais complexas? Já falei sobre isso com minha terapeuta, mas ela acha que tenho que insistir, mas sempre que insisto sinto-me pior, apesar de me preparar na hora é sempre a mesma coisa. Ah que tristeza! Como posso vencer este medo e escrever normalmente sem demonstrar tanta insegurança?

Elen Gomes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Elen Gomes disse...

Nem sei o q dizer. Já desconfiava ter este mesmo problema, e hoje, tudo isso me incomoda e muitoooo...Estou aos prantos lendo este blog, esta história q parece cópia da minha. Já me basta sofrer de claustrofobia, e agora, mais essa! Bom, só me resta seguir o seu conselho em procurar um psicólogo. Obrigada por seu depoimento. Paz no seu ♥

Willian Souza disse...

Cara . é muito dificíl isso .. tenho 15 anos . diferente da situação de muitos , eu mesmo fico reparando em mim . mesmo estando sozinho , sinto vergonha até de mim mesmo, é inconfortável de mais , não tenho medo apenas de assinar , tenho medo de faser algo que que outras pessoas não fariam , quando alguém olha para mim , eu fico imaginando que ela esta reparando em mim , outra coisa , quando estou jogando algum jogo com algum amigo , eu fico tremendo , a mão esfria muito , meu coração vai a mil ,é como se eu tivesse medo de que ele me julga-se ruim , muitas vezes eu so muito bom em uma coisa , mais o fato de saber que estou sendo visto , eu coméça a faser tudo errado . na escóla , quando veem minha letra , disem que paréce de medico , são desonestos , dizem na sua cara que sua letra é feia , isso é que é o pior . no onibos , parece que sou o centro das atenções , todo mundo olha , isso da raiva . algo que me preucupa muito , é o dia que eu for fazer a entrevista de trabalho , quem vai contratar alguem que é debelitado a escrever ? muitas empresas vão rejeitar . mais agóra que eu li esses comentarios , e a história do dono da pagina , tomei uma decizão , que se fo** a porr* toda .. to nem ai nem ligo mais .. ninguem tem a ver com minha vida mesmo .. kkkk' desculpem pelas palavras de baixo calão ... me ajudo bastante ae ;)

Ivan Junior disse...

Olá pessoal, também sofro com essa doença que é muito constrangedora, mas busco consolo e conforto na palavra de Deus que diz Humilhai-vos, pois, debaixo da potente mão de Deus, para que a seu tempo vos exalte; Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós. 1 Pedro 5:6-7, apesar das dificuldades mim formei em análise de sistemas, casei, estou trabalhando, toco guitarra em uma banda evangélica, e tenho esperança de um dia ser curado pelo poder de Deus e testemunhar a vossa soberania para arrependimento e conversão de muitos, pois o principal propósito de Deus para a humanidade é que todos sejam salvos.
Enquanto isso continuarei orando e perseverando por todos. Amem!

Juliano Glauco Calzavara disse...

Pra mim é a pior coisa, minha vida só andou para tras por causa disto,não fiz faculdade por causa desse problema, é horrivel me sinto um quase nada..

Aretha disse...

tambem passo pelo mesmo problema, tenho maos tremulas por conta da ansiedade. principalmente quando vou assinar meu nome, e as pessoas ficam olhando . é horrivel essa sensação

Le disse...

Sou advogada e sofro de problema idêntico ao de vocês. Já fiz psicoterapia, bem como tratamento com anti-depressivos. Engraçado que por anos e anos sofri com tudo isso calada. Nunca imaginei que outras pessoas tivessem o mesmo problema do que o meu.
Interessante é que quem tem medo de baratas, avião ou altura não se envergonha em contar os seus medos. Porém, para nós, é um medo tão banal que acabamos nos calando, nos fechando e tentando esconder de todos, fazendo com que as pessoas não percebam o que está acontecendo.
Como é que isso é possível, ter medo de sua propria assinatura, ou assinar em frente a outras pessoas?
Imaginem vocês ter de fazer uma audiência, defendendo os interesses de seu cliente, que está morrendo de medo das circunstâncias, e você, com medo de que ela termine, pois ao final terá que assinar. E aí surgem problemas (que apenas na nossa cabeça) podem ser ainda maiores: e se o cliente perceber que minhas mãos tremem e eu mal consigo assinar? Ou seja, até mesmo o meu profissionalismo é colocado em jogo.
Já cheguei a me questionar se, após anos de experiência profissional, será que sou boa no que faço, pois se realmente o fosse conseguiria fazer uma coisa tão boba e simples: minha assinatura. Sempre tive vergonha de expor o problema, como se ele fosse o maior do mundo. Sim, para nós que sofremos de fobia (social ou específica) este é o maior problema do mundo. Aos olhos dos outros pode estar associado a incapacidade pessoal e até mesmo profissional e acredito que é o que mais incomoda e o que agrava a situação, ou seja, a preocupação excessiva com o que os outros vão pensar.
A psicoterapia me ajudou muito a compreender muitas coisas, como, por exemplo, que eu nunca deixei de assinar. Por mais trêmula que fosse a minha assinatura, por mais que parecesse uma analfabeta que não conseguia desenhar o próprio nome, eu nunca deixei de assinar.
Evidentemente que me senti ridicularizada por inúmeras vezes com rizadas, comentários maldosos, dentre outros (se fui ou não é outra história, pois foi assim que a minha mente interpretou). Mas talvez o mais importante seja realmente nos abrirmos.
Por mais incrível que isso possa parecer, eu lhes afirmo AMENIZA O PROBLEMA. É claro que se pudesse fugir disso, eu o faria, assim como faço até hoje, mas o tratamento me ajudou muito.
Aos poucos descobri que não há do que me envergonhar: trata-se de uma fobia: algo irracional, incontrolável que me imobiliza completamente.
Percebi que o melhor é assumir, reconhecer e enfrentar o problema, somente assim é que consegui me ajudar. Pior é se calar, se esconder e não se expor.
Tempos atrás li um livro bem interessante (Mentes Ansiosas - medo e ansiedade além dos limites - Ana Beatriz Barbosa Silva) e nele tinha um trecho bem interessante em que diz que a única regra a ser seguida para a superação das fobias é o ENFRENTAMENTO. Enfrentar o medo é ter certeza de que ele jamais se tornará algo maior do que você. Medos patológicos são como lendas; quando não se acredita nelas, deixam de existir. Assim como a bruxa malvada de sua infância. Pois é, um dia o mesmo poderá acontecer com seus medos.
O melhor é procurar um psicoterapeuta, cujo tratamento muitas vezes é associado à medicação prescrita por psiquiatra. O psicoterapeuta ajudará na discussão do problema em si e como enfrentá-lo. Já a mediação auxiliará no controle dos sintomas, como por exemplo diminuir os batimentos cardíacos, os tremores, etc. Abraço a todos. lopezlleticia.ll@gmail.com

lili disse...

toda minha angustia e sofrimento estão expostos nestes comentários,porém nao desisto nunca pois Deus está comigo e ainda vou testemunhar vitória,assim como todos vcs tbm irão!!!

Vou vencer este problema disse...

Meu Deus como toda essas Histórias parecem com a minha ! Enfim, desde os 12 anos de idade sofro com isso,tenho raiva de mim por tamanha tolice! Refletir muito por que sou assim ? De onde veio isso ? Lembrei de uma diretora de minha escola no período que cursava o ensino fundamental onde ela me chamou na direção para assinar uns documentos e diante dos professores me gritou, com isso criei um trauma e nunca mais deixei de tremer quando estou pra assinar meu nome na presença de alguém importante !!Hoje tenho 40 anos. Ontem resolvi procurar ajuda !Tenho sentado diante de uma psicólogo lhe contando dos meus traumas e com sua ajuda e a de Deus eu vou vencer . Parece tão pequeno mas sabemos que para quem tem é um grande problema!Abraços a todos !geziel-bezerril@hotmail.com

Brenda Torres disse...

Nossa, eu pensei que era somente eu que passava por certa situação "vergonhosa". Tudo começou em uma apresentação dos escoteiros, uma sala com 300 pessoas sentadas me olhando, onde eu teria que segurar a bandeira do Brasil, que por sinal balançou o tempo inteiro por causa do querido "tremor". Todas aquelas pessoas se olhando e comentando, e do nada me chamam para ler um texto no microfone, o que aconteceu? ahhh, travei, simplesmente não conseguia sair do lugar, da mesma palavra, e todos riram. Desde então, não consigo falar em publico desde que eu tenha que segurar algo (microfone também), não consigo assinar meu nome, não consigo escrever em frente a minha esposa, ou quaisquer que seja a pessoa. Já pensei em tomar remédios, ou algo que me ajude com isso, quero fazer tatuagens e não posso, e também quero cursar engenharia mecânica, e como vou me apresentar na faculdade? como vou apertar um parafuso tremendo dessa forma? Tenho só 18 anos, convivo com isso desde os 11, e gostaria muito de mudar...
brokenyourheart@hotmail.com pra quem quiser conversar!

Joao Paulo da Silva disse...

Olá pessoal meu nome é João Paulo tenho 31 anos, trabalho como operador de caixa, procurei muito na internete respostas para esse problema, começo escrever mais não demora muito tempo, pras palavras escritas não sairem, começo a tremer isso é constrangedor, tenho muito medo quando alguém mim pede uma nota fiscal, até consigo, quando a pessoa é muito conhecida minha mesmo assim é muito dificil. paulo.silva2014@hotmail.com

Bruna Kaline disse...

Oi Pessoal meu nome é Bruna,Sofro muito com esse problema, A pouco tempo fui na Neurologista e ela passou um remédio pra mim durante 20 dias,Mas não resolveu de nada, Só faz piorar a cada dia!
Pra que quiser conversar sobre esse assunto vou deixar aqui meu email: brunakaline_gl@hotmail.com

Danie disse...

Eu ficava um pouco ancilosa quando tinha que assinar qualquer documento que fosse, na frente de outras pessoas, mas não era nada de mais, era muito leve. Meu Pai tinha o tremor e meu irmão tb tem, mas hoje fui ser testemunha de um casamento e o tremor no momento da assinatura foi intenso, nada igual aos tremores anteriores. Fiquei constrangida, mas ninguém disse nada, mas percebi que todos notaram. Achei até que pediriam que eu assinasse novamente, pois a assinatura ficou quase ilegível, mas não foi preciso. Gostei da dica de pedir para assinar em lugar reservado, pois falar sobre tremor não me incomoda nada, perto de tremer de tremer nessas situações !!!!

Charlotte disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
evolution disse...

4ff n consigo escrever na frente de outras pessoas , hj msm 15/10/13 tive que assina alguns documentos na frente de algumas pessoas foi horivel praticamente n consegui ,começei dei uma desfarçada e 1 minuto depois sozinho escrevi perfeitamente , muito triste isso so quando eu desligo meu sistema nervoso central passa, mas hj em dia trabalho em um escritorio e nao posso mais beber pq presciso dirigir muito , a cada dia piora;
obrigado por deicharem compartilha isso ;( tenho apenas 18 anos

marcos disse...

Boa noite a todos, tenho 36 anos, minha historia começou quando tinha 6 anos tive uma grande dificuldade de ir a escola, pois tinha muito medo, naquela época não tinha pré-escola pelo menos na minha cidade fui direto para a 1º serie do ensino fundamental, com muita luta consegui estudar 3 anos chegando a 3º serie, ai disse que não iria mais estudar minha mãe não conseguiu me obrigar. Só me dei conta do meu medo de escrever em publico quando eu tinha uns 14 anos, tive que ir colégio pegar um boletim do meu irmão mais novo, a diretora pediu para que eu assinasse a retirada, disse que não sabia escrever fiquei cheio de medo e ansiedade. Faz pouco tempo que conclui o ensino fundamental e o médio, foi com muito sacrifício. O medo de ser avaliado é terrível.
Vejo que o meu caso é menos grave comparando com os dos colegas que postaram, mais assim mesmo é complicado.
Foi muito importante encontrar o Blog.
Um abraço a todos

Marcio santana disse...

Boa tarde.

Incrível como os comentários descrevi claramente a minha historia. Até então, eu sabia que tinha algum problema. Mas não sabia que tantas pessoas enfrentavam a mesma situação.
Sou uma pessoa que me considero mais ou menos desinibida, mas que tenho um grande problema que me aflige ha muitos anos, que só vem piorando: A dificuldade de assinar algum documento em publico, me fazendo sentir inútil, incapaz de assinar meu próprio nome, como se fosse um analfabeto, isso me deixa muito triste pois tem muitas pessoas que só aprenderam fazer o nome e não se intimida em assinar um documento.

joaquim disse...

Preciso de ajuda:
Tenho o meu B.I e carta de condução para renovar até ao final de janeiro
Já ando com dificuldades em dormir só em pensar que tenho que ir assinar o meu nome com alguém a olhar para mim, sempre fui assim: O mais engraçado "sem graça nenhuma" é que sou casado tenho 56 anos dois filhos e cá em casa nunca ninguém se apercebeu disso...sempre arranjei malabarismos na minha vida para esconder esta patologia...escrever , tomar café, etc, etc.na presença de alguem estranho, não é para mim.
Alguém me é capaz de dar uma ajudita para ultrapassar esta situação nem que seja momentaniamente?
Um abraço

Flávio Carvalho disse...

Olá Galera!

Já escrevi no blog anteriormente.
Desde então convido aos q tem whathsapp a criarmos um grupo para relatar nossa experiências do dia dia relacionado a este problema. Pois é uma maneira mais interativa de nos comunicar e muito mais fácil do que pelo blog.

Aos interessados me add ai 948292618...

Junto iremos superar este problema.
Forte abraço!

Paty disse...

Este é para o Joaquim...Tenho o mesmo problema conforme muitos já relataram, isso é muito difícil e estou passando por muitos momentos críticos...mas Amigo Joaquim, se isto pode lhe tranquilizar, no Mês de Novembro de 2013 renovei a minha CNH e estava tendo o mesmo pesadelo q vc, mas graças a DEUS correu tudo bem, o mesmo agora para tirar não precisa mais da assinatura e nem tirar foto, simplesmente vc passará pelo teste de visão!! boa sorte!!

Raphaela Cristina disse...

É incrível como é bom achar pessoas como a gente né, isso ja nos dá um consolo enorme, mas ainda nao sei o q fazer com tamanha dificuldade, é muito ruim chegar em um lugar e saber q vc vai ter q assinar um papel, q vai ter alguem te avaliando... até hj nao comprei minha casa pelo banco por medo de assinar os tais papéis, pois sei q são papéis importantes e q vai ter um gerente esperando pela minha assinatura, esse blog foi achado em minha vida, vou tentar colocar em prática o q ele sugere aqui, Verdade, humildade e aceitação... é o q me resta ;)

Morena* disse...

Ana
sofro do mesmo problema a um tempo,as vezes penso que só existe eu com esse problema; mais quando achei esse blog vi que não; uma sugestão minha é que temos que nos ajudar; fiquem com Deus! pink.1000@hotmail.com

Tarso disse...

Eu me identifiquei muito com o autor, comecei ter tremores por volta de 12 anos e fui muito constrangido por isso, chegando a ouvir mais de 40 crianças rindo na minha frente e fazendo piada de mim. Desenvolvi um medo absurdo de usar as mãos pra qualquer coisa, principalmente escrever, pois sempre tremiam. Adoeci de fobia social e a doença se agravou. Hoje não só as minhas mãos tremem, mas também a minha boca, sorrir é algo quase impossível. Sou totalmente dependente de propranolol, pena não ser tão eficiente no tremor da boca. Boa sorte a todos nós! Sei bem como essa vida é extremamente difícil e limitante.

Cris disse...

Ola amigos!Vi o blog e me identifiquei mt,apesar de nao ter problemas na escrita.Sou tecnica em enfermagem e tremo horrores ao aplicar uma injecao.Acho q e ansiedade...Alguem pode me ajudar????Acabei de entrar no emprego e morro de medo de perder!Cristina.meu email:cris-serrado@hotmail.com

elias j alberto disse...

Oláaa! Sou o Edilson...
a única maneira de vencer isso é de esquecer o mesmo problema e dizer q eu consigo, encara as pessoas que estão em seu redor como se fosse algo norma. sofro o mesmo mas não por muito tempo só o primeiro e o resto acabo por escrever normalmente, pela ignorância do meu ser por vezes consigo passar esses tipos de problemas, por vezes mesmo não assinando um documento procuro em escrever em frente dos colegas em caso da resolução tarefa, e vejo que me ajuda bastante a perder o medo e a simpatia também faz parte, ao escreveres arranja uma conversa procura a simpatizar-se com o baconista da medida que vão conversando acabas por esquecer do tremor e quando dispertares o documento já está completamente assinado sem teres nenhuma dificuldade devido a distraição.

maria f disse...

Olá!
Não tinha ideia que tanta gente sofria desse mal..
Tenho 27 anos e á uns 2,3 anos comecei a sentir esses tremores, sinto no corpo todo, mas principalmente nas duas mãos, sinto mais na mão direita, o que me prejudica na hora de levar um copo à boca e as vezes na hora de escrever..
Nunca fui á um psicólogo, mas acho que tenho fobia social, pois tenho uma grande dificuldade de estar com outras pessoas, prefiro que elas nem me notem. Tenho me sentido meio estranha, em muita vontade das coisas, as vezes não acredito mais em mim. Sou muito quieta e tímida desde criança e isso me incomoda bastante.
Acho que comecei a notar os tremores quando eu ainda estava indo á igreja.. quando tinhamos que ficar de pé na hora da oração eu tinha que me ''segurar'' pra não tremer, mas mesmo assim eu tremia, o corpo todo, principalmente a cabeça e as costas..
Uma vez uma pessoa me perguntou o que eu tinha preso dentro de mim, que eu precisa ''gritar'' dar um basta, e deixar de ser tão ''fechada'' assim. Não soube como fazer isso..
E quanto aos tremores nas mãos, tremi muito quando fui tirar minha carteira de trabalho.. na hora de assinar eu tremia e não conseguia escrever, a atendente percebeu e foi paciente comigo, me dizendo pra ficar calma, mas não adiantou, minha letra saiu ruim. Fiquei morrendo de vergonha..
E depois de um tempo ainda sinto esses tremores, mas não muito.. acho que depende da situação, de quem ta olhando..
Mas tenho reparado que to sentindo mais tremores quando vou levar o copo à boca ou qualuer outra coisa..tenho que esperar as pessoas pararem de me olhar ou conversar comigo pra poder tomar tudo que tem no copo.. é ruim ser assim.
Agora estou cercada de algumas pessoas mas prefiro ficar sozinha ou com meu namorado que me entende, apesar de nunca ter contado essas coisas á ele, mas provavelmente ele já percebeu.. e e até já notei uns tremores nele tbem, mas foi só quando ele se sentiu tímido. Ele é timido mas se aceita como é.. e apesar de eu não ser uma pessoa que já conseguiu ajudar realmente alguem, ele sempre me diz que só conseguiu se aceitar como é por minha causa.
Agradeço por ele existir, mas queria ser melhor.. pra mim e pra ele.
Obrigada pelo espaço pra expor isso..

vanusa nascimento disse...

nossa tenho a msm coisa e nao aguento mais viver com essa situaçao todos os comentarios sao o msm do meu achei q eu era a unica a ter isso fico tao trist com esse problema...vanusa101@hotmail.com gente eu to acreditando q tem pessoas como eu q sentem a msm coisa eu leiu e releiu varias vezes pois nao esto acredtando fico feliz por sabe q n e so eu e trist ao msm tempo pois sei o quanto e ruim passar por isso q DEUS nos ajudem a sair dessa abraços!!

TUDO EM IMPORTADOS disse...

Meu nome é Anchieta Tenho 44 anos, percebi esse problema aos 20 anos.isso já foi horrível, sendo que recentemente descobri que esse problema ser espiritual. resolvi colocar minha fé em ação pedindo ao Senhor JESUS que me ajudasse. Semana passada tive que renovar minha habilitação, travei uma luta espiritual jamais enfrentada, resolvi terminantemente NÃO fazer uso de qualquer que SUBSTÂNCIA ANSIOLÍTICO que fosse, me apeguei com DEUS, determinei pra mim mesmo que iria assinar tudo que seria preciso e que não iria me intimidar ou temer alguma coisa, pois DEUS estava no controle da minha vida. Gente como DEUS é maravilhoso, ALELUIA! tudo correu maravilhoso, assinei três vezes e não senti nenhum nervosismo. Meu socorro vem de DEUS, estou me fortalecendo lendo a bíblia todos os dias e com isso me fortaleço. pessoal, isso é espiritual, vamos todos recorrer ao medico dos médicos JESUS CRISTO, ele é o único que toca onde a medicina não tem como prover a cura, pois CRISTO é especialista em casos impossíveis de serem resolvidos pela medicina secular. EU CREIO QUE TODOS VÇS SERÃO CURADOS, apenas busquem conhecer melhor nosso criador.

Entrega o teu caminho ao Senhor; confia nele, e ele tudo fará (Salmos 37:5)

analisesti@gmail.com

deivid cristiano disse...

Meu nome é Deivid tenho 28 anos,lendo esses posts parece que vcs estão falando de mim,tenho pavor de escrever com pessoas ao redor ou me olhando,no dia do meu casamento por exemplo só assinei meu primeiro nome e metade do segundo não dei conta e a caneta ainda caiu no chão kk,depois que passa fico com muita raiva de mim mesmo por ser assim,minha letra de quando eu tinha 14 anos é mais bonita do que a letra que tenho hoje.Amanha tenho uma audiência de trabalho irei representar a empresa no qual eu trabalho e minha promoção depende da minha assinatura neste processo,o diretor da empresa estará ao meu lado.Meu Deus me de tranquilidade e serenidade pra suportar essa situação.Abração pra vcs!

tk vieira disse...

EU TENHO ESTE PROBLEMA A MAIS DE 12 ANOS SOFRO DEMAIS! É UM CAMINHO SEM VOLTA! VOCÊ SABE DE ALGUMA TECNICA PARA FAZER NA HORA DE ASSINAR QUE DEE CERTO? RESPONDAM ME POR FAVOR?/

tk vieira disse...

alguem sabe me dizer uma tecnica para fazer na hora de assinar para nao tremer?

tk vieira disse...

alguem sabe me dizer uma tecnica para fazer para nao tremer na hora de assinar?

Priscyla Scuassante disse...

Tk eu tb estou atras de uma tecnica...estou nesse sofrimento ha 4 anos e abandonei a profissao por conta disso tb...agora quero retomar mas está complicado...tenho procurado vencer aos poucos...uma coisa de cada vez...me vi em todos comentarios...tenho dificuldades para me alimentar, beber algo em restaurantes q nunca entrei, qto mais sofisticado mais me incomoda, tb tenho pra assinar e nesse o bloqueio é ainda maior, as crises sao maiores, me dá taquicardia, dores de cabeça e muscular e tenho reparado que tem aumentado...estou cansada de sofrer com isso...faço psicoterapia com abordagem cognitivo comportamental indicada aos fobicos...fiquei 4 anos com uma analista e melhorei em alguns aspectos mas nao nesse de assinar em publico. Alguém criou o grupo de autoajuda??? Que técnicas utilizam?!?! Estamos compartilhando sofrimentos, precisamos agora de experiências vencedoras no enfrentamento dessa maldita doença!!!!P.S: enviei email para várias pessoas e espero retorno para nos ajudarmos!!! Agradeço desde já!!! Ah o grupo do whatsapp nao consegui add...se puderem me add fico grata: 27999163664...no mais boa sorte e um dia de cada vez....

Carlos Henrique disse...

pensei que eu fosse o único, mais vejo que esse problema e bem comum, creio que esses testemunhos vão me ajudar pq o meu ta bem avançado e em tudo que vou fazer fico nervoso ansioso e etc... e quando entro em um lugar que sei que vou terq assinar começo a suar e parece que estou em outro mundo. mais muito obrigado por essas palavras acho q vão me ajudar

alex leite disse...

Olha, já tem cerca de 10 anos que estou sofrendo com isso, Só agora resolvi contar para minha esposa, pois não tô aguentando mais. Quando tenho que assinar algum documento, começo a tremer as mão s e não consigo me controlar, parece que estou em outro mundo,mas sei que com a ajuda dela que por sinal ficou muito brava por só agora ter revelado pra ela, mas só quem tem isso que sabe como é difícil contar isso para as outras pessoas. Vi tantas histórias neste blog que até pensei que fosse a minha, e só depois de tanto tempo criar coragem para encarar o problema, mas já estou me sentindo melhor só de saber que conversando com as outras pessoas podemos encarar o problema e levar uma vida normal.

TUDO EM IMPORTADOS disse...

Olá pessoal!

Gente todos precisamos de informaçoes sobre esse problema, leiam sobre o tratamento nesses links.

http://www.hcnet.usp.br/ipq/revista/vol32/n4/231.html e